Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

GAZETA DE POESIA INÉDITA

Espaço dedicado à divulgação de poesia original e inédita em língua portuguesa.

GAZETA DE POESIA INÉDITA

01
Fev19

BERNARDINO GUIMARÃES - TEATRO

 

 

Entenderás sim, conforme o amor que tenhas.
Tudo te surgirá claro, falsamente, o fio do tempo,
 o rumo que cumpres e não sabes.
Porque há uma fissura nesta manhã sem projecto.
A falha atlântica do que não dizes.
Virá a noite. Sorverás o leite pálido da lua pelas ruas.
O jardim há-de revelar-se
e o tempo nele entre os plátanos.
Verás a madrugada, o cavaleiro e o sábio, a sombra e a pedra,
 o pássaro exaltado com coração de febre,
 causando um desvio mínimo no eixo da Terra.
Tudo isto verás sem que o entendas.
Dirás então do vento claro de uma mão aberta, do farol breve do cigarro que acende as praias lentas.
Deixa.
No jardim que tremulamente percorreste, ficou o homem
que escreve laboriosos prefácios de livros que nunca existiram.
 O que foge porque não sabe deixar-se,
 O que busca Deus na flor e na partícula,
nos vestígios
 onde o que está em cima é igual ao que está em baixo.
Cansado, eu sei. Entenderás um dia talvez o mapa do tesouro
O definitivo mapa de todas as coisas
 e as palavras certas para exaltar o dia.
Teatro, digo-te eu, tempo, e em palco sempre é agora.

Pág. 28/28

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Mais sobre mim