Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

GAZETA DE POESIA INÉDITA

Espaço dedicado à divulgação de poesia original e inédita em língua portuguesa.

GAZETA DE POESIA INÉDITA

30
Abr19

AMADEU BAPTISTA - "MANTENHO A FAXINA DE ESCREVENTE"

 

 

Mantenho a faxina de escrevente
Sem grandes arroubos à musa
Porque ainda não lavei os pratos de ontem
E no estendal a roupa não secou.

Talvez seja este um modo de dizer
Como estou farto das tretas que me enredam
Ainda que enquanto o tractor vai e vem
As costas folguem das coimas da maldade.

‘A bactéria que destrói as oliveiras chegou
A Portugal’ – e isto é que me dana,
Entre a dose diária de hidromel
E a vespa asiática que me coube em sorte.

O país lá segue na adulação de sempre,
A deixar os criminosos de colarinho branco
À solta nos spas e outras recorrências
De espantar pardais e de manter fortunas.

Fizesse eu investimentos de outra ordem
E não veria como vejo o caracol
A subir e a descer os andaimes que me sitiam
E dão à casa este ar de lúgubre desgraça.

O mais é a musa que me tarda e a tarde parda
Imune aos meus desejos, que fosse Ítaca
Ali já ao virar da esquina, ou pudessem voltar
Os teus beijos fecundos aos meus lábios.

Pág. 1/30

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Mais sobre mim