Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

GAZETA DE POESIA INÉDITA

Espaço dedicado à divulgação de poesia original e inédita em língua portuguesa.

GAZETA DE POESIA INÉDITA

11
Nov18

DIOGO VAZ PINTO - "TRAÇO DE NOITE UMAS POUCAS LINHAS"

Traço de noite umas poucas linhas
e já vos apanho, outras nem saio
tenho trancados na imaginação uns quantos
para descer e desancá-los, a língua
forçando os dentes
alargo o cinto, dou-me folga, descalço as botas
sobre a mesa, deixo a lama nos papéis
onde o meu nome mal se lê
riscado à pressa, canto
a canção desumana de um corpo que vem
junto às águas, depois de afogado
os olhos mais vivos
servindo-vos o leito do rio em copos

pudesse e gostaria também de viver
de chá fraco com natas
deixar camas desfeitas
achando natural que degradação e glória
cheguem juntas
isso e ter horas, como gente que telefone
ou escreva, toque à porta
tocando vez alguma a carne inteira

deixar de um nome ao lado da cama
o gosto mordido,
tremor de um fruto caindo à terra
sem que chegue a sujar-se

ou a casa deixá-la arrumada
de um modo sinistro
como um bilhete
numa agonia perfumada de gerânios maçãs
romãs

e vir friamente como os sinos descem
a beber nas fontes, vir pelas ruas
a testar a obediência da sombra
por mais alguns passos antes que fuja

um grama de veneno a horas certas
o mundo calmo como se escuta
nos carris de um caminho-de-ferro
o golpe quantas vezes pressentido
a separar-te a cabeça

corta-me o sangue lá onde nasce
essa história em que vens de porta em porta
como é próprio dos gatos
entregando cadáveres como dádivas

para trás, desde o escuro
a decifrar um gesto, uma frase
sem outro saber além do próprio corpo
como há quem o ofereça
digno de um significado antigo
a mão dando forma à boca, ao queixo
à maçã de Adão

dou por mim tão quieto como preso
a olhar-nos e se não pergunto
bem sei como só nos resta
envelhecer comovidamente
a ouvir uma história de galáxias devoradas
sedados pelo som das grandes passadas
a senti-lo dentro, íntimo, ínfimo
despedaçando-nos, o tempo
as horas e a sua insana paciência
essa corrente que nos puxa sem levar
aos que não se afogaram

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Mais sobre mim