Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

GAZETA DE POESIA INÉDITA

Espaço dedicado à divulgação de poesia original e inédita em língua portuguesa.

GAZETA DE POESIA INÉDITA

30
Ago19

LUÍS FILIPE PEREIRA - REQUIEM

 

O canto é seco
quando em seu dentro
dói um silêncio roxo,
um estertor de jasmim
pobre e audível,
de estátua quase,
uma inabitável respiração
entoada fria sobre o ouvido
das janelas abstidas
de paisagens

A sede é seca
de tão inútil:
um acento gráfico de algodão
nos lábios despintados

As palavras são
uma máscara de oxigénio
quando o coração bate ainda
no avesso da luz
a enxotar a morte,
o pedregulho de Sísifo
carregando,
de cada vez mais leve:
o poema é um aparelho
de medir a tensão

O corpo arrefece
a começar pelos pés,
nos edemas da morfina
húmidos de soro
gota a gota,
sem imagens: o corpo
demora a encontrar a noite,
as lâmpadas indecifradas,
demora a coagular o medo:
uma vez seco o medo
a vida pode acabar

O barqueiro aproxima-se
imóvel, vem na direcção
do papel vegetal da pele,
      do seco invólucro do corpo
      onde só a água dá nota
      do seu peso
vem para respigar o sopro seco
e derradeiro







             

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Mais sobre mim