Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

GAZETA DE POESIA INÉDITA

Espaço dedicado à divulgação de poesia original e inédita em língua portuguesa.

GAZETA DE POESIA INÉDITA

01
Fev20

LUÍS FILIPE SARMENTO - "DEPOIS DO MAR..."

 

Depois do mar, as castanhas da avó, o veneno que restabelecia as agonias de inverno, o espectáculo memória que preservava os pilares ilustres da decadência

Depois da terra, as anchovas, o litro, antes do vinagre, antes da morte de amanhã na secura da sarja velha, as ilusões todas reunidas no desperdício, balões efémeros com gritos e vitórias pessoais, as folhas secas queimadas no serão sem existência, as gravatas dos palhaços, alfarrobas, o beijo desperdiçado no açúcar amarelo, os dentes brancos que convocavam abraços secretos para não fazer filhos ao acaso, as bicicletas alugadas e as relvas de esperança revoltada para que a noite brilhasse com arco-íris e cetins, o bairro das leitarias e alfaiates que escreviam corpos adolescentes

Depois do ar, o sexo mordido, os sabores, os líquidos despidos, a fartura do sal, a pele encrespada de tanto por vir, aprender o desejo como um abecedário moderno, a liberdade nua na crueza do poço da morte, os cabelos sem vento, a louca chávena de erva roída, a proibição de fechar os olhos e fingir que a vida é tão bela na lonjura do adeus que não renasce em nenhum festival de memórias perdidas

Depois do fogo, sem idade a completar rituais, a serenidade dos dedos como um piano fora da orquestra, a inflamação da língua, o resto escondido nos alçapões das vielas onde Lisboa acontecia ao contrário, nos lábios possantes e ressequidos dos desertos das avenidas novas, na sacristia à ceia das hóstias, o pecado de existir entre as pernas intermináveis de sabores ancestrais à revelia das salas de jantar, dos chefes, dos tenentes que fabricavam morais com linhaça vendida e reaquecida

Depois do fogo, de novo as labaredas frias das unhas cravadas na nuca como se o dia fosse uma infinitude de estrelas intermitentes coagidas por pulsões negras, ah, depois do fogo, este pacto indestrutível escrito nas chamas poderosas do nome em ascensão

 

in Rouge (a publicar)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Mais sobre mim