Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

GAZETA DE POESIA INÉDITA

Espaço dedicado à divulgação de poesia original e inédita em língua portuguesa.

GAZETA DE POESIA INÉDITA

29
Set18

PATRÍCIA LAVELLE - REDES

I

 

Se defino “ponto”

do ponto de vista

geométrico

faço teia de aranha

capaz de capturar

o mais minúsculo

inseto.

 

II

 

Quanto mais cerrada a malha

da armadilha

menor o bicho

capturado

 

III

 

Quanto mais largo o laço

maiores bichos

me escapam

 

IV

 

Mas se o ponto definido

é a própria armadilha

enredo-me nos fios

desta minha cadeia

 

V

 

E se você quiser fisgar

o sentido assim tecido

precisa desfazer

o casulo construído

 

VI

 

A beira do mar informe,

penso seres polimorfos:

 

peixes tão grandes que são

eles mesmos

redes enormes

 

 

VII

 

Pesco,

logos

sou

 

VIII

 

Metáforas

são

e não são

redes

 

Nelas

as vezes pego

leviatãs

e outras vezes

ouço

sereias

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Mais sobre mim