Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

GAZETA DE POESIA INÉDITA

Espaço dedicado à divulgação de poesia original e inédita em língua portuguesa.

GAZETA DE POESIA INÉDITA

18
Abr20

ADRIANO TAVARES DIAS - "CHEGOU O TEMPO..."

Chegou o tempo em que sorrir não mais alegra,
cansa.
Mas quem desfalece merece o opróbio,
Então continua-se sorrindo o suplício.
A noite só não basta,
máquina em Standby,
já que a horda de compromissos assalta até a pele dos pesadelos, 
enquanto o flúor na água endurece a pineal para proteger os dentes,
as redes de wifi atravessam os crânios,
e a luz estroboscópica da corrente alternada frita seu espectro azul
como um permanente hospital. Ou sanatório:

um deserto sem noite.

Preciso do mar!
Caudaloso e manso mar...
Eu jangada e seu horizonte meu rumo ou companheiro caminhando ao lado.
Ali opera outra categoria de delírio,
Concluindo o serviço que o sono deixa ao meio,

Mas nem o mar mais há mais que o mediado pela tela de um aparelho:
- Ó mar de dados,
Quantos dos meus vícios
São seus algoritmos?

Sonhei um tropel (e não saia meu grito...)
Corria com todas as forças um desesperado passo lento
Metro a metro
A besta no encalço
E a matilha, o ladrão, a onda colossal
Que logo chega e me estraçalha.

Sabemos demais, agora, para a paz.
Por isso só eu esquecesse tudo e cortasse todos os fios.

Desconexo, talvez fosse expulso por essa estupidez à paz pássara,
Então teria o mar,

Mais nada.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Mais sobre mim