Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

GAZETA DE POESIA INÉDITA

Espaço dedicado à divulgação de poesia original e inédita em língua portuguesa.

GAZETA DE POESIA INÉDITA

05
Abr19

ALEXANDRE GUARNIERI - A SÊDA

 
 
 
 
flertar com o crime no experimento-limite
entre o tateável e o meramente instintivo:
naquilo que pode ou não ser tocado, da sêda
à roseira, por exemplo, suas respectivas
existências exigem tratamentos específicos;

quando a monotonia dos centímetros
seria comparável à dor dos espinhos?

o que seria a sêda senão o éden
das terminações nervosas, entre
o cérebro e os dedos percorrendo
a superfície de um segredo?

a palma da mão no mistério,
navegando o idílio reativo
de um tecido não apenas retilíneo
mas tão rico em sensações físicas:

na temperatura há ajuste fino;
a forma aquosa o renova, suave exílio,
como tocar algo no auge do impossível?

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Mais sobre mim