Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

GAZETA DE POESIA INÉDITA

Espaço dedicado à divulgação de poesia original e inédita em língua portuguesa.

GAZETA DE POESIA INÉDITA

03
Jun19

ANTÓNIO DE MIRANDA - SOU EU,

 

 


Sim!
Sou eu.
Outra vez a bater à porta que não me abre.
Sou eu,
a amolgar a memória, sempre agarrado à
mesma derrota.
Sou eu,
a não compreender esta espera, a pintar
sabores de ausência.
Sou eu,
a assassinar a angústia, a contar gota a gota
lágrimas de indignidade.
Sou eu,
a colar pingos de chuva, a pintar cenários, a
fugir sempre de mim, numa pressa desabitada.
Sou eu,
nesta colecção de restos, vendidos em saldos
idiotas.
Sou eu,
a encaixar vazios, a erguer as mãos para um
destino sujo, a encaixotar desculpas em
segunda mão, a pensar redondo com esta fé
enferrujada, que não pára de me atraiçoar.
Sou eu,
a perder a cabeça nesta parede grafitada com
lamentações.
Sou eu,
vestido com aquilo que já não presta.
Sou eu,
a acenar a um deus que nunca mais larga a
cruz.
Sou eu,
encharcado nesta sombra cansada de me
emoldurar.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Mais sobre mim