Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

GAZETA DE POESIA INÉDITA

Espaço dedicado à divulgação de poesia original e inédita em língua portuguesa.

GAZETA DE POESIA INÉDITA

01
Set19

EDUARDA CHIOTE - O PROFETIZADOR DO POEMA

 

Ouvi o profeta rosnar
ao oferecerem-lhe um livro
cuja capa ilustrava um Anjo caminhando sob as ondas,
sob o mar : - Oxalá se afogue !
A estupefacção que senti perante este raivoso comentário
acontece-me sempre que presto atenção ao facto
de que "pode matar-se um gato pensando que
se pode matar
o azar"
pois somos
não apenas, da memória, o esquecimento
mas o que distorção da percepção
desta
nos permite
a nossa história, cegueira, in/visualidade - olhar.
Penso, mas penso isso hoje com a idade e a adoecida
tristeza de hoje, que. Ao exprimir-se
deste modo,
o profetizador
do poema
quisesse devolver
à imoderada anarquia das águas, a leveza diluvia/na
das
pombas
condenadas sem pecado
a purificarem
até às zonas de aflição
os meus amigos tantos - agora/hoje praticamente
todos eles
muito para além do descanso.
Na verdade,
o Anjo
era apenas a configuração do anonimato do caos antes
da treva: antes - muito, muito antes.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Mais sobre mim