Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

GAZETA DE POESIA INÉDITA

Espaço dedicado à divulgação de poesia original e inédita em língua portuguesa.

GAZETA DE POESIA INÉDITA

20
Set18

JOÃO BOSCO DA SILVA - OBJECTOS ÚLTIMOS

Comovem-me os pacotinhos de sumo barato nas mesas-de-cabeceira dos hospitais,

Os desenhos e rabiscos de garotos de dois ou quatro anos que não se lembrarão do avô,

O sumo dias e dias intocado, a fome dos últimos momentos pouca, a sede enganada gota a gota,

Comovem-me os relógios de pulso, últimos companheiros não fosse a falha nas pilhas

Ou de quem lhe dá corda, enfiados no fundo das gavetas contra vontade,

Porque estavam a incomodar uma veia, escondendo assim a hora da partida,

Os anos, décadas antes, presidentes já falecidos, à noite da boca descai-se um mãe,

Tudo para enganar a última visita, quase sempre rodeados de outras solidões,

Gemidos alheios que quase um eco, comovem-me as caixas de bombons

Que ficam por ali, abertas, cheias, ao lado da placa que já não consegue nem um sorriso,

Comovem-me os objectos pequenos, os últimos da vida, porque no fim

Tudo sabe a tão pouco para nada ,a vida acaba e o pacotinho de sumo intocado.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Mais sobre mim