Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

GAZETA DE POESIA INÉDITA

Espaço dedicado à divulgação de poesia original e inédita em língua portuguesa.

GAZETA DE POESIA INÉDITA

11
Set20

LUÍS PEDROSO - FUMOU O FILTRO E ERA AMARGO

 

Fumou o filtro
e era amargo - Job.
Dizem que foi herói à medida de Hollywood
mas nunca terá afastado os olhos do prémio. 
Mansão sobranceira ao Mar Morto,
espaço para os automóveis vintage,
pavilhão de caça, 
bela e recatada esposa.

Os filhos - puros e sérios –
dados à unção na venalidade dos ofícios, 
traficam um real politik que mata em diferido
e inspeccionam aqueles que exibem com orgulho
algemas nos pulsos como pulseiras de ouro.

No fim lamentam compungidos a fome,
a violência, etc. 

Se ser herói é trazer costela à vista
temo-los visto aos milhões -
e porque não seria o poeta
carnívoro ou canibal,
porque não o seduziria uma Abissínia, 
admitir que a moral da História
tem os canos serrados? Job.

Não sei o que me deu
para lhe despejar azeite a ferver
sobre as chagas, logo agora
que está naquela fase da lepra
e a beleza das películas
se mede em pipoca

Onde é que eu ia?
Job.
Na cova com os leões? Perdi-me.
Mas aproveite-se o episódio
para adaptação a blockbuster -
em trilogia, um formato com provas dadas. 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Mais sobre mim