Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

GAZETA DE POESIA INÉDITA

Espaço dedicado à divulgação de poesia original e inédita em língua portuguesa.

GAZETA DE POESIA INÉDITA

01
Set20

m. parissy - A ENCHENTE DA CIDADE DA ÁGUA


com o Nuno Rebocho em Moura, 2002


Um pássaro reza frente ao rio Ardila. 
O grande olho da noite 
surge por entre quem sobrevive à enchente.
A água regenera o solo
como a ferida de um gato.

Queimado pelo ar
o pescador confessa que a água embebeda.

A paisagem púrpura
trabalha ao longo dos dias
para que o ofício de incêndio seja reluzente.

Há uma relação demorada
entre o aparelho da terra 
e a nascente das águas.
É um conjunto que tolda madeira, sangrando.

A grande maioria das constelações são escarlates
têm uma força maior
enriquecem o pavor
de todas as coisas terrestres.

A carne sendo única
contrasta com os anéis do abismo.

E a terra, por fim
perde a inocência
quando se criam palavras 
e se ouvem nos campos a caminho de Moura.
Sacrificando-se perante a loucura
do clarão que inunda.
 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Mais sobre mim