Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

GAZETA DE POESIA INÉDITA

Espaço dedicado à divulgação de poesia original e inédita em língua portuguesa.

GAZETA DE POESIA INÉDITA

29
Dez19

PEDRO BRAGA FALCÃO - " Uma cúpula tão grande"

Basilikê tou hagiou Petrou



Uma cúpula tão grande

que chamaram dos reis. O ouro
que sangra dos altares, a pedra ferida
que faz dos rostos mármore.

E no santo dos santos simulada
a coroa vive da madeira, alta
mas não tanto como a distância
das letras que se repetem numa língua
que nunca falaria, que nunca poderia
pronunciar com a vontade do deserto
o amor que converte, que chama.

Palavras enormes, douradas,
redondas, circulares, cúbicas
esmagam o chão e chamam o tecto,
e os entronados, em gestos de espera,
ossos e pele, devorados pelas pedras,
são escassos nas suas parcas celas.

E os outros, a multidão fingida
que ouve nos passos dos outros
aqueles que ousou ter por seus,
amontoa-se num cântico surdo
de mil frases ditas por acaso,
numa conversa sem duplo sentido.

Num canto, prostrada, derrotada,
uma pequena capela que suplica –
tão somente – um silêncio.

Do outro lado do Tibre ainda alguém –
com o sorriso dos palermas –
se lembra dos versos “odeio
o profano vulgo”. E guarda um silêncio
sem o qual tudo se faz ruído.

E as torres sobem, os sinos falam,
os arlequins com ar de guardas sorriem
à madrugada, ao final do dia,
imolados à magia de uma fotografia,
repetível e invariavelmente errada.

E imagino – porque me deram a imaginar –
um homem pobre ou simples ou puro
que recusaria todos os modos,
todos os tempos, todos os deuses.

Que teria tanta pena, tanta paixão
por todo esse estúpido mármore.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Mais sobre mim