Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

GAZETA DE POESIA INÉDITA

Espaço dedicado à divulgação de poesia original e inédita em língua portuguesa.

GAZETA DE POESIA INÉDITA

22
Out19

TIAGO ALVES COSTA - OS AMERICANOS!

 

Fui empregado numa pequena empresa de Mapas,
viajante-parado sem experiência alguma em mundos [
com a grande missão de ir ali dar uma voltinha
e regressar depois ao meu coração derrotado
que sempre desejou ser superior    autoritário     cansado
sem medo de ficar de repente   dependente    sem chão   nem trabalho?
E armar-se finalmente com uma mulher-pai de loucura sem corpo,
mais vinte cinco dias de um subsídio que alimentaria os vizinhos do 3º direito
a bobine de um elevador que jamais iria além do segundo andar   [o céu!

Mas o responsável chamou-me o dia:

            o senhor não se disfarce daquilo que poderia ter sido
            não se acuse duma  frágil estrutura óssea que o sistema nervoso oculta
            seja um amante de mapas e odeie os territórios configurados de tédio
            as pessoas querem tapar os ouvidos ao roer subterrâneo do real...
            não! essa chama da humanidade não é para si... coitadinha  a humanidade  
            o senhor deve eliminar a distância de tudo ser longe demais mais e nada mais!
            e facilitar assim a aceleração do mundo
            o senhor...

E eu de repente fiquei a olhar um possível senhor-menino que podia haver em mim
fiquei a olhar os meus quartos de pé na lonjura espacial e as dimensões dos Mapas  [tão pequeninos
De repente um senhor-menino sem experiência em mapas   feixe de nervos a vibrar
adulto sensato a quem de pernas pediram muito e que a cabeça...    desmedida     corrompida?
Eu, suspeito de ter um dia aquém dos cinco dias do calendário
suspeito de dormir sempre para o mesmo lado
suspeito de amar um sem-abrigo
de albergar um perfil falso?
Eu, com todas as profissões que um dia imaginei ser
um saltador em altura na vertigem    um canibal sem fome       uma pletórica fada!
sonhando amar em ares virgens
mortais pára-quedistas  sem infância nem dinheiro
em possuir corpos nas estações
do tempo calmo!

                  1000 MAPAS PARA FAZER PERDER?
         
E a olhar o mundo e a imaginar as entradas das cidades subterrâneas  antiquíssimas  futuristas
a desenhar cálculos exaustivos de possíveis fugas onde me pudesse despedir da família
como se sempre os tivesse amado [com medo
eu com um futuro em Mapas assegurado
mapa fiel e concreto da minha ânsia
longa sucessão de vidas imaginas
ai meu inocente curriculum!

Questionei o responsável:

            meu senhor, neste preciso momento meio mundo tem emprego
            outro meio mundo busca um meio para não chegar tarde ao trabalho que ama [detesta
            enquanto isso eu fui ali e já vim sem que o mundo me visse
            e arranjei finalmente uma pessoa entre muitas pessoas
            que andavam ontem no meio duma multidão há procura não se sabe bem o quê
            NÃO SE SABE BEM O QUÊ  é um objecto que só alguém
            disciplinado na loucura podia ter pensado em perder
            e que a minha data de aniversário muito provavelmente desconhecerá.
            meu senhor, eu já arranjei uma daquelas pessoas que em mim escasseavam há muito
            e que muito provavelmente me irá ser útil nesse exercício
            cada vez mais difícil de me esquecer de mim
            de não querer um emprego
            sabe...

e com aqueles seus hipnotizados olhos
o responsável retorquiu                                OS AMERICANOS!

E eu fui para casa pensar no meu futuro
nos americanos.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Mais sobre mim