Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

GAZETA DE POESIA INÉDITA

Espaço dedicado à divulgação de poesia original e inédita em língua portuguesa.

GAZETA DE POESIA INÉDITA

07
Dez18

WILLIAM SOARES DOS SANTOS - ULISSES

 

 

 

Depois de tudo

deixo o teu leito

com tudo

o mais de óbvio:

molhado de suor,

com a face relaxada,

e uma ferida

encravada no dorso.

 

Deixo o teu leito

como quem

cumpriu uma promessa,

esperando o pão com manteiga

que chega com o cheiro do café

perpassado pela alvorada,

 

Deixo o teu leito

com a incerteza

de um retorno tranquilo

à minha Ítaca sonhada

 

– barco sem porto

faço de ti meu ancoradouro.

 

Deixo o teu leito 

com um adeus

desacenado

de quem procura te

encontrar,

 

– após batalhas

contra troianos, ciclopes e

sirenes encantadas –

 

na próxima

dedirrósea manhã.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Mais sobre mim